sábado, 19 de julho de 2014

Resenha: Divergente, Insurgente e Convergente (livros)

Resolvi escrever as resenhas de Divergente, Insurgente e Convergente numa única postagem porque a minha opinião mudou pouco de livro para livro, já que na maior parte eles continuam com as mesmas características, mudando pouca coisa.

Antes das críticas dos livros propriamente dizendo, gostaria de falar aqui nesse texto sobre algumas pessoas que dizem que os livros e o filme da série Divergente são cópias de Jogos Vorazes. Isso não é verdade. Eles apresentam ideias totalmente diferentes do futuro, e os dois são bem originais, com características próprias. A única semelhança entre eles é que a personagem principal das duas histórias é uma menina corajosa, guerreira, e que arrisca a própria vida para conseguir se salvar, e depois salvar o povo. Mas o resto são histórias totalmente diferentes.

É até uma ofensa dizer que Divergente é parecido com Jogos Vorazes. A série de Jogos Vorazes é muito melhor e muito superior ao de Divergente, tanto nos livros como nos filmes. Nos livros de Jogos Vorazes, as histórias são melhores narradas e mais rápidas, enquanto nos livros de Divergente vemos muitas partes longas e chatas, que cansam quem está lendo. Um exemplo disso é a própria vida de Tris que é cercada de segredos que vão sendo revelados ao longo da trama. O romance entre Tris e Quatro também é destaque em Divergente, enquanto em Jogos Vorazes o romance fica em segundo plano, não sendo o ponto principal da história.

Divergente também tem uma visão da sociedade mais complexa, que é interessante para quem lê o livro (interessante pelo menos no primeiro livro), mas que termina ficando difícil explicar no cinema, e o resultado disso são filmes razoáveis, que só entende as pessoas que leram os livros. Com Jogos Vorazes é diferente, os filmes podem ser assistidos e compreendidos totalmente por quem não leu o livro, e eles ficam ótimos e cheios de aventura.

Abaixo você confere a minha opinião sobre cada livro da série Divergente:

DivergenteTítulo Original: Divergent

Título Nacional: Divergente

Autor: Veronica Roth

Editora: Rocco

Número de páginas: 502

Ano: 2012










Para falar a verdade eu não estava muito interessado em ler Divergente, mesmo sabendo que o livro era um sucesso. Mas isso foi até um colega de classe falar que o filme era muito bom. Então senti vontade de ler o livro para depois assistir ao filme. E o livro também é muito bom.

Divergente é um livro de aventura que conta uma história futurística. O que eu achei mais interessante nisso foi essa ideia de facções, que é muito diferente e original. Sempre que vemos um filme que se passa em tempos futuros, o que vemos geralmente é a tecnologia bem avançada e robôs trabalhando para humanos. Divergente mostra uma abordagem diferente do futuro. Essa originalidade com certeza foi fundamental para fazer o livro se tornar um sucesso tão grande.

Outra coisa que eu achei bem interessante em Divergente é que enquanto eu lia, sentia a mesma sensação que sinto quando assisto alguns filmes de aventura, que é aquele nervosismo, aquela tensão, mal esperando para ver o que vai acontecer. Os detalhes da narrativa faz deixar tudo emocionante.

Um ponto negativo que achei por todo o livro foi a repetição de expressões, como: limpar a garganta, encolher os ombros, olhar por cima dos ombros, dar de ombros, “mordo meu lábio”, “cerro meus dentes”, “minhas bochechas ficam quentes”, entre outros. Essas expressões deixam as frases muito repetitivas. De forma geral, Divergente é um ótimo livro.

Nota:



InsurgenteTítulo Original: Insurgent

Título Nacional: Insurgente

Autor: Veronica Roth

Editora: Rocco

Número de páginas: 512

Ano: 2013










Em Insurgente, aquelas palavras e expressões repetitivas que eu critiquei em Divergente desapareceram. É como se Veronica Roth, a autora da série, estivesse se aperfeiçoando.

A história continua com muita aventura e emoção, mas às vezes tem partes da história que são longas e chatas, deixando a narrativa pouco atraente e cansativa.

Melhorou num ponto e piorou em outro, por isso a minha nota continua a mesma. De forma geral, Insurgente é um bom livro.

Nota:



ConvergenteTítulo Original: Allegiant

Título Nacional: Convergente

Autor: Veronica Roth

Editora: Rocco

Número de páginas: 526

Ano: 2014










Em Convergente o livro ganha duas narrativas: a de Tris e Tobias. Geralmente Tris narra um capítulo e Tobias outro. Um dos motivos que a autora resolveu fazer isso somente nesse livro é porque Tobias e Tris passam muito tempo separados, cada um com seus problemas, e a autora queria mostrar os dois lados da história, e o que acontecia com um enquanto o outro não estava presente.

Em Convergente a história é mais complexa do que em Divergente e Insurgente. Nos dois livros anteriores Tris consegue contar todos os acontecimentos sozinha, mas neste livro os acontecimentos e revelações de segredos são grandes e nem sempre Tris está presente. Por isso a narrativa junto com Tobias.

No começo achei um pouco estranho, mas é fácil se acostumar já que mesmo um capítulo sendo narrado por Tris e outro por Tobias, eles se encaixam. O problema que eu achei é que Tobias tem a mesma forma de narração de Tris, que na verdade é da autora do livro, Veronica Roth. Mas ela poderia ter diferenciado a forma que cada um narra a história para não ficar tão parecido, até porque se trata de duas pessoas diferentes.

Eu divido em livro em duas partes, na sua metade. A primeira metade apresenta uma narrativa chata e cansativa. Eu já não sentia mais a mesma vontade de ler e querer saber o que iria acontecer como era nos livros anteriores. Os capítulos ficaram mais longos, as revelações são muito científicas, dando um ar de ficção científica muito forte num livro que deveria ter mais aventura. As conversas ficaram chatas e tudo ficou muito parado. É na segunda metade do livro que a chatice dá lugar à aventura de volta, e grandes acontecimentos de lutas voltam a acontecer.

Por causa da parte chata do livro que ocupa a sua metade posso dizer que dos três livros da série Convergente é o pior.

Nota:

Jóckisan

é pernambucano, e é estudante e blogueiro nas horas vagas. Gosta de estudar, ler livros, assistir a bons filmes e séries. Na internet gosta de ler notícias interessantes, tecnologia e TV. Também escreve no Mundo Geek.
comments powered by Disqus

 

Copyright @ 2011-2015 Fique Sabendo!.