sábado, 22 de novembro de 2014

Resenha: Divergente (filme)

DivergenteTítulo Original: Divergent

Título Nacional: Divergente

Direção: Neil Burger

Gênero: Ação, aventura e ficção científica

Duração: 2h19min

Distribuidora: Paris Filmes

Estreia: 17 de abril de 2014

 

 

 

 

Primeiramente, quero dizer que Divergente não tem nada a ver com Jogos Vorazes, como alguns críticos dizem por aí. Pode ter algumas características em comum, mas são características mais gerais. Fora isso, são duas histórias diferentes com personagens com personalidades diferentes. Além disso, Jogos Vorazes é bem melhor do que Divergente.

Para quem não leu Divergente pode ficar perdido ao assistir o filme porque ele deixa passar muitos detalhes e explicações, que só são encontrados no livro, como por exemplo, a parte em que Peter e seu grupo pegam Tris para jogar no abismo (por que eles fizeram isso?), e a parte em que Al é encontrado morto (por que ele se matou?).

Se compararmos ao livro, muita coisa mudou no filme, que contou os seus principais acontecimentos, mas com outra narrativa, outras falas, outros cenários, outras características e outros detalhes. Até mesmo os personagens de várias situações mudaram. O filme também não deu destaque aos amigos de Tris, sendo que a que mais aparece (e ainda pouco) é Cristina.

Mas a culpa disso não é do filme, e sim da história. Divergente conta uma história futurística bem original (e interessante), mas muito complexa, que apresenta muitas ideias e características próprias, terminando não sendo fácil mostrar tudo isso na tela.

Por isso considero Divergente um filme que para você assistir e entender completamente o que se passa, tem que ler os livros primeiro, quase como algo obrigatório. Isso diminui a sua nota, é claro, porque o ideal de um filme que é adaptação de um livro é que a pessoa consiga assistir e entender tudo sem ter que ler o livro.

No fim, Divergente se mostrou um filme às vezes querendo ser de aventura, às vezes querendo se de romance, às vezes querendo ser mais descolado com aquela trilha sonora horrível. E a história ficou vazia. É essa a sensação que eu tive de quando acabei de assistir, de que é um filme vazio, que tem muitas histórias e ao mesmo tempo poucas, porque todas elas são rápidas e mal contadas.

Sobre a trilha sonora, ela é ruim porque em vários momentos ouvimos músicas mais jovens e agitadas, mas que não combinam com a cena e nem com o tipo de filme. Divergente é uma história de aventura, mas em vários momentos fica muito parado. Eles queriam que com essa trilha sonora o filme não ficasse tão parado assim, mas no resultado final vemos que ela não caiu bem.

As atuações são boas, e Shailene Woodley se mostra uma ótima atriz.

Nota:

Jóckisan

é pernambucano, e é estudante e blogueiro nas horas vagas. Gosta de estudar, ler livros, assistir a bons filmes e séries. Na internet gosta de ler notícias interessantes, tecnologia e TV. Também escreve no Mundo Geek.
comments powered by Disqus

 

Copyright @ 2011-2015 Fique Sabendo!.